21 de agosto de 2017

Congresso de Viena (resumo)

O que foi o Congresso de Viena

O Congresso de Viena foi uma conferência diplomática, ocorrida na cidade de Viena (capital da Áustria) entre setembro de 1814 e junho de 1815.

Que países participaram desta conferência

Contou com a participação de representantes das grandes potências europeias, que haviam vencido a França de Napoleão em 1814. Participaram do Congresso de Viena representantes da França, Império Austríaco, Reino Unido, Reino da Prússia, Império Russo, do Papa Pio VII, Reino da Sardenha, República de Gênova, Reino da Suécia e Confederação dos Cantões da Suíça.

Objetivos do Congresso de Viena

- Redação e estabelecimento das condições de paz na Europa, após da derrota de Napoleão.
- Redefinição do mapa político europeu, que havia sido modificado nas conquistas de Napoleão Bonaparte.
- Restauração ou permanência das monarquias absolutistas em grande parte das nações europeias.
- Combate aos ideais políticos liberais e aos movimentos democráticos que ganhavam força na Europa sob a inspiração da Revolução Francesa.
- Reprimir os movimentos emancipacionistas, que ganhavam força nas colônias europeias na América, inspirados pelos ideais iluministas e pela Revolução Francesa.

O que foi a Santa Aliança

A Santa Aliança foi um acordo envolvendo a cooperação militar das monarquias russa, prussiana e austríaca. O objetivo fundamental desse acordo era impedir a deflagração de outros movimentos de caráter liberal pela Europa e o combate das lutas de independência estabelecidas no continente americano.

Mapa da Europa após o Congresso de Viena
Fonte:
http://www.suapesquisa.com/resumos/congresso_viena.htm
http://www.coladaweb.com/historia/congresso-de-viena
http://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia/exercicios-sobre-congresso-viena.htm

20 de agosto de 2017

A produção do espaço político

A história da humanidade é marcada por conflitos. Mas foi somente a partir de 1815, com o Congresso de Viana, que as nações buscaram constituir fóruns multilaterais para estabelecer acordos de paz e discutir a ordem internacional do pós-guerra.

Foi, sobretudo, a partir do século XIX que os conhecimentos acerca dos territórios e de seus recursos naturais passaram a legitimar a ação dos Estados. Conhecer os fatores econômicos, demográficos e territoriais que podem influenciar a política e as relações internacionais tornou-se cada vez mais importante. Assim, a geopolítica constitui-se como um campo de estudos e práticas úteis aos Estados nacionais no estabelecimento de seus interesses territoriais e estratégias diplomáricas ou de guerra.

O século XX, com duas guerras mundiais e a Guerra Fria, mostrou que o caminho para o consenso geopolítico é difícil e que as soluções encontradas em longas negociações podem não agradar a todos os países envolvidos.

Questões para refletir
1. Cite dois conflitos motivados pelo nacionalismo.
2. Nos dias atuais, como os países debatem e solucionam questões internacionais?

Fonte: BALDRAIA, André; SAMPAIO, Fernando dos Santos; SUCENA, Ivone Silveira. Ser protagonista: geografia, 3º ano. 3 ed. São Paulo: SM, 2016.
Imagem: Manifestações na Ucrânia em 2014 (internet).

18 de agosto de 2017

Desabafo de uma professora

Uma sala de aula nunca estará imune aos conflitos, principalmente quando professores são jogados contra a sociedade pelos próprios governos e somos acusados pelos gastos públicos, pela má qualidade de ensino e por tudo de ruim que acontece no país (só que governos nunca assumem as suas más administrações).

Alguém haverá de dizer, "não liga!". Só que não somos máquinas onde existe o botão de ligar e desligar e fica tudo bem imediatamente. Mesmo sendo forte e cercada por pessoas fortes e determinadas às fico pensando qual é realmente o meu papel em toda essa história. Eu não quero simplesmente despejar um conteúdo em sala de aula, quero ajudar a modificar vidas, tentar despertar a solidariedade e a compaixão, o respeito pelo próximo, tentar fazer do lugar onde convivo e trabalho um lugar melhor. Mas nem sempre é fácil...

Acho que hoje nós, professores estaduais, vivemos o dilema de não saber qual é realmente o nosso papel. Por que uma profissão onde as pessoas estudam por tantos anos e se transformam em pesquisadores para se manterem atualizados, é tão desvalorizada? Por que não temos equiparação salarial com outras classes que estudaram tanto quanto nós?

A consequências do descaso com a educação e com os docentes é que poucas pessoas querem ser professores no nosso país. Tem muitos professores excelentes que estão simplesmente desistindo e abandonando a carreira porque não estão conseguindo se sustentar, estão trabalhando em salas superlotadas, enfrentam a violência dentro das escolas e outros problemas mais. Então, não há estímulo e nem motivação.

10 de agosto de 2017

Pobreza e fome no mundo globalizado

A Declaração do Milênio
O processo de globalização evidenciou uma grande desigualdade socioeconômica, que se manifesta de várias formas, seja em zonas rurais, seja em zonas urbanas. Isso acontece porque também são desiguais os acessos ao capital, aos recursos naturais, à tecnologia, à educação de qualidade, à água potável, aos serviços de saúde e ao saneamento básico. Por essa razão, precisamos considerar as desigualdades socioeconômicas como algo que vai muito além da distribuição de bens materiais e que se manifesta nas várias formas de pobreza e em sua principal consequência: a fome.
Para atenuar essas diferenças e melhorar a vida das pessoas no século XXI, a Organização das Nações Unidas (ONU) elaborou a Declaração do Milênio.
Segundo o Banco Mundial, cerca de 1 bilhão de pessoas saíram da situação de extrema pobreza entre 1995 e 2015. No entanto, os avanços para atingir os Objetivos do Milênio têm sido muito desiguais nas diferentes regiões do mundo: existem grandes áreas na África subsaariana e no Sul da Ásia onde os Objetivos dificilmente serão alcançados.

A fome no mundo

Segundo relatório da ONU e União Europeia de 2016, são cerca de 108 milhões de pessoas no mundo passam fome. Mas esse número é bem maior. Um estudo do Instituto Internacional de Investigação sobre Políticas Alimentares (IFPRI, na sigla em inglês), mostra que pelo menos 1 bilhão de pessoas sofrem de desnutrição no planeta. A situação é considerada grave na América Latina, especialmente na Bolívia, na Guatemala e no Haiti. A pesquisa mostrou que quase metade dos afetados pela desnutrição são crianças. Os níveis mais altos se encontram na África Subsaariana e  no sul da Ásia.
A fome do mundo é causada pela combinação de preços altos, conflitos e condições climáticas extremas.
Em março, a ONU fez um alerta de que o mundo vive a mais grave crise humanitária desde a fundação da entidade, em 1945. Segundo a organização, até julho de 2017 mais de 20 milhões de pessoas corriam sério risco de morrer de fome. A crise afeta principalmente as populações do Iêmen, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, países da África e do Oriente Médio.
Há algo que une os quatro países mais ameaçados pela crise da fome no mundo hoje: todos vivem conflitos armados. Com a instabilidade política, vêm a instabilidade econômica e social e abre-se, assim, espaços para surtos de fome. O Iêmen é o caso mais grave, considerado o mais pobre país do mundo árabe, o Iêmen viu a crise de fome crescer rápido em 2017.
Mapa que mostra os pontos onde a fome já é realidade para a maioria da população.
O que é pobreza?
A pobreza pode ser considerada como o não suprimento das necessidades básicas (alimentação, habitação, saúde e educação), fatores necessários para garantir a integridade física e psicológica das pessoas. Contudo, não há um conceito rígido para definir essa condição.
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) estabeleceu, no Relatório do Desenvolvimento Humano 1990, que a situação de pobreza atinge pessoas que vivem com menos de 1.25 dólar por dia. O Banco Mundial considera a faixa de menos de 2 dólares por dia para definir a população pobre e menos de 1 dólar por dia para definir pobreza extrema. Outro critério é medir a renda dos domicílios.Nessa análise consideram-se:
- a linha de pobreza, ou seja, a renda que os moradores de um domicílio precisam obter para satisfazer suas necessidades e ter uma vida digna;
- a linha de indigência, isto é, a renda necessária para custear uma cesta de alimentos que satisfaça um nível mínimo de necessidades energéticas e proteínas para as pessoas sobreviverem.
O mais importante, porém, é detectar a pobreza para diminuí-la e combatê-la em várias regiões do mundo, principalmente nos lugares onde ela é crônica e mais aguda, como em países da África, da América Latina e da Ásia.
Abaixo tabela atualizada com a porcentagem de população em condições de pobreza no mundo, por região, em 2015.

Fonte (livro):  ALMEIDA, Lúcia Marina Alves de; RIGOLIN, Tércio Barbosa. Fronteiras da globalização. São Paulo: Ática, 2016.
Fonte (internet):
http://www.amambainoticias.com.br/mundo/1-bilhao-de-pessoas-passam-fome-no-mundo
https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/03/13/Por-que-o-mundo-vive-sua-pior-crise-de-fome-em-70-anos
https://oglobo.globo.com/mundo/onu-numero-de-pessoas-que-passam-fome-no-mundo-sobe-35-21143294
https://oglobo.globo.com/economia/onu-apresenta-novo-indice-para-avaliacao-da-pobreza-na-america-latina-2975619

5 de agosto de 2017

Um mundo cada vez mais urbano

Em 2008, pela primeira vez na história, foi verificado que mais da metade da população mundial vive em cidades. Segundo estudo realizado pela ONU, estima-se que 66% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.

Vídeos de origem:
https://pixabay.com/
https://www.videezy.com/

2 de agosto de 2017

Organização e regionalização de um mundo desigual

Divisão da riqueza mundial
PIB per capita (em dólares)

Ponto de partida

Estudo do Credit Suisse, o Global Wealth Report 2014 mostra que 87% da riqueza mundial está concentrada em apenas 10% da população mundial.

1. Com o auxílio do mapa e do gráfico, indique três países que concentram parte dessa população.
2. Indique três países ricos que foram grandes colonizadores no passado e três pobres que foram colônias.


Fonte (livro): SILVA, Edilson Cândido da;JÚNIOR, Laercio Furquim. Geografia em rede. São Paulo, FTD, 2016.
Imagens: Opera Mundi

1 de agosto de 2017

O reinício do ano letivo e o parcelamento dos salários

O ano letivo aqui na minha escola iniciou com paralisação ontem e hoje, com possibilidade de uma nova greve. O governador do Estado liberou uma parcela de apenas R$ 650,00 para todo o funcionalismo público, o que está trazendo uma enorme dificuldade para os pessoas pagarem as suas contas em dia. Mas essa situação não é nova, desde o início do mandato do governador Sartori começaram os parcelamentos dos salários.
"Desobedecendo todas as leis trabalhistas e, inclusive, a decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, no julgamento do mérito no pleno, que por 21 votos a 4, proibiu o Estado de parcelar salários, o governo Sartori, pela 20ª vez, parcela o pagamento dos educadores e demais servidores. O primeiro depósito foi de apenas R$ 650,00."
Saiu a decisão da Assembleia geral em Porto Alegre e decisão foi greve até sexta-feira, quando será feita uma nova assembleia onde será decidido se a greve continua.

Fonte: http://cpers.com.br/governo-paga-parcela-menor-que-salario-minimo-aos-educadores-gauchos/.

26 de julho de 2017

Volta às aulas


Uma boa parte dos estudantes e professores do Brasil estão retornando às aulas hoje, dia 26 de julho, quarta-feira. Nós, professores e estudantes da rede pública do RS, retornaremos na próxima segunda-feira, dia 31 de julho. 
Um bom retorno a todos nós com todas as alegrias, tristezas e desafios que temos que enfrentar diariamente em um país onde o ensino, a educação e a cultura nunca foram prioridades. Um ensino onde os profissionais não são valorizados, onde a maioria de nós tem que lutar muito para tentar dar um pouquinho da qualidade que tanto gostaríamos de ter nas salas de aula e na vida.
Talvez o dia em que as decisões sobre o ensino não venham de cima para baixo o ensino brasileiro possa mudar para melhor. Mas sei também que por enquanto isso é um sonho.
Mas vamos seguindo lutando firmes e fortes por nossos ideais fazendo o nosso melhor, embora nem sempre tenhamos certezas nesse "mar agitado" que estamos vivendo atualmente.

20 de julho de 2017

Casinhas feitas de caixa de papelão para abrigar animais abandonados

Amigos(as), colegas e alunos(as)! O frio está dramático aqui no Sul do Brasil e também na região Sudeste. Aqui no Sul estamos com temperaturas abaixo de zero. Hoje mesmo li uma notícia triste que um morador de rua morreu de frio em São Paulo. As prefeituras precisam tomar uma atitude no sentido de amenizar o sofrimento daqueles que estão em situação de vulnerabilidade, ou seja, daqueles que não tem nada.

A minha preocupação também se volta para os animais abandonados e desabrigados. Então tive a ideia de postar aqui sugestões de como construir casinhas baratas para amenizar o sofrimento dos animaizinhos de rua. Estamos em ferias! Então vamos nos juntar em uma corrente de solidariedade para ajudar a quem precisa nesse frio terrível. Não são casas definitivas, mas que ajudarão até passar esse momento dramático para os animais desabrigados, já que são casinhas feitas com caixas de papelão e plástico.
Você vai precisar
-caixas de papelão
-fibra de proteção usada para transportar estofados e aparelhos eletrônicos (facilmente encontrada como descartes nas lojas e shoppings que vendem estas mercadorias)
-plástico preto comum para obras e reformas
- fita adesiva
-cobertor
Dar várias voltas na caixa com o plástico e se tiver colocar uma camada intermediária de fibra de proteção ou plástico bolha. Use aquela fita adesiva mais forte que resiste a umidade e coloque forros dentro da caixa (cobertor velho ou outros panos). Não fica bonita, mas é econômica e eficiente. Essas casinhas pode abrigar gatos e cachorros. O tamanho da caixa depende do tamanho do animal.
Se tiver caixa velha de isopor também serve.
Outras ideias no blog Amor aos Animais (clique em cima do nome do blog).

16 de julho de 2017

Questões ambientais - Enem e vestibulares

1. ENEM 2016 1° dia - Caderno 3 - Branco - Questão 35
Segundo a Conferência de Quioto, os países centrais industrializados, responsáveis históricos pela poluição, deveriam alcançar a meta de redução de 5,2% do total de emissões segundo níveis de 1990. O nó da questão é o enorme custo desse processo, demandando mudanças radicais nas indústrias para que se adaptem rapidamente aos limites de emissão estabelecidos e adotem tecnologias energéticas limpas. A comercialização internacional de créditos de sequestro ou de redução de gases causadores do efeito estufa foi a solução encontrada para reduzir o custo global do processo. Países ou empresas que conseguirem reduzir as emissões abaixo de suas metas poderão vender este crédito para outro país ou empresa que não consiga.
BECKER, B. Amazônia: geopolítica na virada do II milênio. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

As posições contrárias à estratégia de compensação presente no texto relacionam-se à ideia de que ela promove
a) retração nos atuais níveis de consumo.
b) surgimento de conflitos de caráter diplomático.
c) diminuição dos lucros na produção de energia.
d) desigualdade na distribuição do impacto ecológico.
e) decréscimo dos índices de desenvolvimento econômico.

2. ENEM 2016 1° dia - Caderno 3 - Branco - Questão 28
Pesca industrial provoca destruição na África
O súbito desaparecimento do bacalhau dos grandes cardumes da Terra Nova, no final do século XX — o que ninguém havia previsto —, teve o efeito de um eletrochoque planetário. Lançada pelos bascos no século XV, a pesca e depois a sobrepesca desse grande peixe de água fria levaram ao impensável. Ao Canadá o bacalhau nunca mais voltou. E o que ocorreu no Atlântico Norte está acontecendo em outros mares. Os maiores navios do mundo seguem agora em direção ao sul, até os limites da Antártida, para competir pelos estoques remanescentes.
MORA, J. S. Disponível em: www.diplomatique.com.br. Acesso em: 14 jan. 2014.

O problema exposto no texto jornalístico relaciona-se à
a) insustentabilidade do modelo de produção e consumo.
b) fragilidade ecológica de ecossistemas costeiros.
c) inviabilidade comercial dos produtos marinhos.
d) mudança natural nos oceanos e mares.
e) vulnerabilidade social de áreas pobres.

3. ENEM 2016 1° dia - Caderno 3 - Branco - Questão 18
Dessalinização das águas
Capacidade total de dessalinização das águas salobras ou salinas (por país em metros cúbicos por dia)
EUA. Relatório da Academia Nacional de Ciências, 2008 (adaptado).

Conforme a análise do documento cartográfico, a área de concentração das usinas de dessalinização é explicada pelo(a)
a) pioneirismo tecnológico.
b) condição hidropedológica. 
c) escassez de água potável. 
d) efeito das mudanças climáticas.
e) busca da sustentabilidade ambiental.

4. ENEM 2016 1° dia - Caderno 3 - Branco - Questão 16
O bioma Cerrado foi considerado recentemente um dos 25 hotspots de biodiversidade do mundo, segundo uma análise em escala mundial das regiões biogeográficas sobre áreas globais prioritárias para conservação. O conceito de hotspot foi criado tendo em vista a escassez de recursos direcionados para conservação, com o objetivo de apresentar os chamados “pontos quentes”, ou seja, locais para os quais existe maior necessidade de direcionamento de esforços, buscando evitar a extinção de muitas espécies que estão altamente ameaçadas por ações antrópicas.
PINTO, P. P.; DINIZ-FILHO, J. A. F. In: ALMEIDA, M. G. (Org.). Tantos cerrados: múltiplas abordagens sobre a biogeodiversidade e singularidade cultural. Goiânia: Vieira, 2005 (adaptado).

A necessidade desse tipo de ação na área mencionada tem como causa a
a) intensificação da atividade turística.
b) implantação de parques ecológicos.
c) exploração dos recursos minerais.
d) elevação do extrativismo vegetal.
e) expansão da fronteira agrícola.

5. ENEM 2015 1º dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 41
A questão ambiental, uma das principais pautas contemporâneas, possibilitou o surgimento de concepções políticas diversas, dentre as quais se destaca a preservação ambiental, que sugere uma ideia de intocabilidade da natureza e impede o seu aproveitamento econômico sob qualquer justificativa.
PORTO-GONÇALVES, C. W. A globalização da natureza e a natureza da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006 (adaptado).

Considerando as atuais concepções políticas sobre a questão ambiental, a dinâmica caracterizada no texto quanto à proteção do meio ambiente está baseada na 
a) prática econômica sustentável. 
b) contenção de impactos ambientais. 
c) utilização progressiva dos recursos naturais. 
d) proibição permanente da exploração da natureza. 
e) definição de áreas prioritárias para a exploração econômica. 

6. ENEM 2015 1º dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 08
AMARILDO. Disponível em: www.amarildo.com.br. Acesso em: 3 mar. 2013.

Na charge há uma crítica ao processo produtivo agrícola brasileiro relacionada ao 
a) elevado preço das mercadorias no comércio. 
b) aumento da demanda por produtos naturais. 
c) crescimento da produção de alimentos. 
d) hábito de adquirir derivados industriais. 
e) uso de agrotóxicos nas plantações. 

7. ENEM 2015 1º dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 05
BRASIL. Ministério do Meio Ambiente/IBGE. Biomas. 2004 (adaptado).

No mapa estão representados os biomas brasileiros que, em função de suas características físicas e do modo de ocupação do território, apresentam problemas ambientais distintos. Nesse sentido, o problema ambiental destacado no mapa indica 
a) desertificação das áreas afetadas. 
b) poluição dos rios temporários. 
c) queimadas dos remanescentes vegetais.
d)  desmatamento das matas ciliares. 
e) contaminação das águas subterrâneas. 

8. ENEM 2014 1º Dia - Caderno Branco - Questão 10
Antes de o sol começar a esquentar as terras da faixa ao sul do Saara conhecida como Sahel, duas dezenas de mulheres da aldeia de Widou, no norte do Senegal, regam a horta cujas frutas e verduras alimentam a população local. É um pequeno terreno que, visto do céu, forma uma mancha verde — um dos primeiros pedaços da "Grande Muralha Verde", barreira vegetal que se estenderá por 7000 km do Senegal ao Djibuti, e é parte de um plano conjunto de vinte países africanos.
GIORGI, J. Muralha verde. Folha de S. Paulo. 20 maio 2013 (adaptado).

O projeto ambiental descrito proporciona a seguinte consequência regional imediata:
a) Facilita as trocas comerciais.
b) Soluciona os conflitos fundiários.
c) Restringe a diversidade biológica.
d) Fomenta a atividade de pastoreio.
e) Evita a expansão da desertificação.

9. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 044
A maior parte dos veículos de transporte atualmente é movida por motores a combustão que utilizam derivados de petróleo. Por causa disso, esse setor é o maior consumidor de petróleo do mundo, com altas taxas de crescimento ao longo do tempo. Enquanto outros setores têm obtido bons resultados na redução do consumo, os transportes tendem a concentrar ainda mais o uso de derivados do óleo.
MURTA, A. Energia: o vício da civilização. Rio de Janeiro: Garamond, 2011 (adaptado).

Um impacto ambiental da tecnologia mais empregada pelo setor de transportes e uma medida para promover a redução do seu uso, estão indicados, respectivamente, em:
a) Aumento da poluição sonora – construção de barreiras acústicas.
b) Incidência da chuva ácida – estatização da indústria automobilística.
c) Derretimento das calotas polares – incentivo aos transportes de massa.
d) Propagação de doenças respiratórias – distribuição de medicamentos gratuitos.
e) Elevação das temperaturas médias – criminalização da emissão de gás carbônico.

10. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 042
A irrigação da agricultura é responsável pelo consumo de mais de 2/3 de toda a água retirada dos rios, lagos e lençóis freáticos do mundo. Mesmo no Brasil, onde achamos que temos muita água, os agricultores que tentam produzir alimentos também enfrentam secas periódicas e uma competição crescente por água.
MARAFON, G. J. et al. O desencanto da terra: produção de alimentos, ambiente e sociedade. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

No Brasil, as técnicas de irrigação utilizadas na agricultura produziram impactos socioambientais como
a) redução do custo de produção. 
b) agravamento da poluição hídrica. 
c) compactação do material do solo. 
d) aceleração da fertilização natural. 
e) redirecionamento dos cursos fluviais. 

11. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 021
A moderna “conquista da Amazônia” inverteu o eixo geográfico da colonização da região. Desde a época colonial até meados do século XIX, as correntes principais de população movimentaram-se no sentido Leste-Oeste, estabelecendo uma ocupação linear articulada. Nas últimas décadas, os fluxos migratórios passaram a se verificar no sentido Sul-Norte, conectando o Centro-Sul à Amazônia.
OLIC, N. B. Ocupação da Amazônia, uma epopeia inacabada. Jornal Mundo, ano 16, n. 4, ago. 2008 (adaptado). 

O primeiro eixo geográfico de ocupação das terras amazônicas demonstra um padrão relacionado à criação de
a) núcleos urbanos em áreas litorâneas. 
b) centros agrícolas modernos no interior. 
c) vias férreas entre espaços de mineração. 
d) faixas de povoamento ao longo das estradas. 
e) povoados interligados próximos a grandes rios. 

12. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 019
A interface clima/sociedade pode ser considerada em termos de ajustamento à extensão e aos modos como as sociedades funcionam em uma relação harmônica com seu clima. O homem e suas sociedades são vulneráveis às variações climáticas. A vulnerabilidade é a medida pela qual uma sociedade é suscetível de sofrer por causas climáticas.
AYOADE, J. O. Introdução a climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 (adaptado).

Considerando o tipo de relação entre ser humano e condição climática apresentado no texto, uma sociedade torna-se mais vulnerável quando
a) concentra suas atividades no setor primário. 
b) apresenta estoques elevados de alimentos. 
c) possui um sistema de transportes articulado. 
d) diversifica a matriz de geração de energia. 
e) introduz tecnologias à produção agrícola. 

13. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 3 - Branco - Questão 041
A irrigação da agricultura é responsável pelo consumo de mais de 2/3 de toda a água retirada dos rios, lagos e lençóis freáticos do mundo. Mesmo no Brasil, onde achamos que temos muita água, os agricultores que tentam produzir alimentos também enfrentam secas periódicas e uma competição crescente por água.
MARAFON, G. J. et al. O desencanto da terra: produção de alimentos, ambiente e sociedade. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

No Brasil, as técnicas de irrigação utilizadas na agricultura produziram impactos socioambientais como
a) redução do custo de produção. 
b) agravamento da poluição hídrica. 
c) compactação do material do solo. 
d) aceleração da fertilização natural. 
e) redirecionamento dos cursos fluviais. 

14. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 3 - Branco - Questão 036
A maior parte dos veículos de transporte atualmente é movida por motores a combustão que utilizam derivados de petróleo. Por causa disso, esse setor é o maior consumidor de petróleo do mundo, com altas taxas de crescimento ao longo do tempo. Enquanto outros setores têm obtido bons resultados na redução do consumo, os transportes tendem a concentrar ainda mais o uso de derivados do óleo.
MURTA, A. Energia: o vício da civilização. Rio de Janeiro: Garamond, 2011 (adaptado).

Um impacto ambiental da tecnologia mais empregada pelo setor de transportes e uma medida para promover a redução do seu uso, estão indicados, respectivamente, em:
a) Aumento da poluição sonora – construção de barreiras acústicas.
b) Incidência da chuva ácida – estatização da indústria automobilística.
c) Derretimento das calotas polares – incentivo aos transportes de massa.
d) Propagação de doenças respiratórias – distribuição de medicamentos gratuitos.
e) Elevação das temperaturas médias – criminalização da emissão de gás carbônico.

15. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 3 - Branco - Questão 030
A moderna “conquista da Amazônia” inverteu o eixo geográfico da colonização da região. Desde a época colonial até meados do século XIX, as correntes principais de população movimentaram-se no sentido Leste-Oeste, estabelecendo uma ocupação linear articulada. Nas últimas décadas, os fluxos migratórios passaram a se verificar no sentido Sul-Norte, conectando o Centro-Sul à Amazônia.
OLIC, N. B. Ocupação da Amazônia, uma epopeia inacabada. Jornal Mundo, ano 16, n. 4, ago. 2008 (adaptado). 

O primeiro eixo geográfico de ocupação das terras amazônicas demonstra um padrão relacionado à criação de
a) núcleos urbanos em áreas litorâneas. 
b) centros agrícolas modernos no interior. 
c) vias férreas entre espaços de mineração. 
d) faixas de povoamento ao longo das estradas. 
e) povoados interligados próximos a grandes rios. 

16. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 3 - Branco - Questão 028
A interface clima/sociedade pode ser considerada em termos de ajustamento à extensão e aos modos como as sociedades funcionam em uma relação harmônica com seu clima. O homem e suas sociedades são vulneráveis às variações climáticas. A vulnerabilidade é a medida pela qual uma sociedade é suscetível de sofrer por causas climáticas.
AYOADE, J. O. Introdução a climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 (adaptado).

Considerando o tipo de relação entre ser humano e condição climática apresentado no texto, uma sociedade torna-se mais vulnerável quando
a) concentra suas atividades no setor primário. 
b) apresenta estoques elevados de alimentos. 
c) possui um sistema de transportes articulado. 
d) diversifica a matriz de geração de energia. 
e) introduz tecnologias à produção agrícola. 

17. ENEM 2012 1º Dia - Caderno 1 - Azul - Questão 38
A irrigação da agricultura é responsável pelo consumo de mais de 2/3 de toda a água retirada dos rios, lagos e lençóis freáticos do mundo. Mesmo no Brasil, onde achamos que temos muita água, os agricultores que tentam produzir alimentos também enfrentam secas periódicas e uma competição crescente por água.
MARAFON, G. J. et al. O desencanto da terra: produção de alimentos, ambiente e sociedade. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

No Brasil, as técnicas de irrigação utilizadas na agricultura produziram impactos socioambientais como
a) redução do custo de produção. 
b) agravamento da poluição hídrica. 
c) compactação do material do solo. 
d) aceleração da fertilização natural. 
e) redirecionamento dos cursos fluviais. 

18. ENEM 2012 1º Dia - Caderno 1 - Azul - Questão 32
A interface clima/sociedade pode ser considerada em termos de ajustamento à extensão e aos modos como as sociedades funcionam em uma relação harmônica com seu clima. O homem e suas sociedades são vulneráveis às variações climáticas. A vulnerabilidade é a medida pela qual uma sociedade é suscetível de sofrer por causas climáticas.
AYOADE, J. O. Introdução a climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 (adaptado).

Considerando o tipo de relação entre ser humano e condição climática apresentado no texto, uma sociedade torna-se mais vulnerável quando
a) concentra suas atividades no setor primário. 
b) apresenta estoques elevados de alimentos. 
c) possui um sistema de transportes articulado. 
d) diversifica a matriz de geração de energia. 
e) introduz tecnologias à produção agrícola. 

19. ENEM 2012 1º Dia - Caderno 1 - Azul - Questão 32
A interface clima/sociedade pode ser considerada em termos de ajustamento à extensão e aos modos como as sociedades funcionam em uma relação harmônica com seu clima. O homem e suas sociedades são vulneráveis às variações climáticas. A vulnerabilidade é a medida pela qual uma sociedade é suscetível de sofrer por causas climáticas.
AYOADE, J. O. Introdução a climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 (adaptado).

Considerando o tipo de relação entre ser humano e condição climática apresentado no texto, uma sociedade torna-se mais vulnerável quando
a) concentra suas atividades no setor primário. 
b) apresenta estoques elevados de alimentos. 
c) possui um sistema de transportes articulado. 
d) diversifica a matriz de geração de energia. 
e) introduz tecnologias à produção agrícola. 

20. ENEM 2012 1º Dia - Caderno 1 - Azul - Questão 26
A maior parte dos veículos de transporte atualmente é movida por motores a combustão que utilizam derivados de petróleo. Por causa disso, esse setor é o maior consumidor de petróleo do mundo, com altas taxas de crescimento ao longo do tempo. Enquanto outros setores têm obtido bons resultados na redução do consumo, os transportes tendem a concentrar ainda mais o uso de derivados do óleo.
MURTA, A. Energia: o vício da civilização. Rio de Janeiro: Garamond, 2011 (adaptado).

Um impacto ambiental da tecnologia mais empregada pelo setor de transportes e uma medida para promover a redução do seu uso, estão indicados, respectivamente, em:
a) Aumento da poluição sonora – construção de barreiras acústicas.
b) Incidência da chuva ácida – estatização da indústria automobilística.
c) Derretimento das calotas polares – incentivo aos transportes de massa.
d) Propagação de doenças respiratórias – distribuição de medicamentos gratuitos.
e) Elevação das temperaturas médias – criminalização da emissão de gás carbônico.

21. FUVEST 2017 1ª fase - Prova V - Questão 46
Leia o texto e observe a ilustração.

Programa de Despoluição da Baía de Guanabara (PDBG) – Esquema simplificado
O Programa de Despoluição da Baía de Guanabara – PDBG – foi concebido para melhorar as condições sanitárias e ambientais da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Verifique a distribuição, a situação e as fases de operação das Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) do PDBG.

Considerando essas informações, é correto afirmar:
a) A área mais atendida em relação à mitigação da poluição encontra-se no sudeste da Baía de Guanabara, pois possui maior número de estações que atuam em todos os níveis de tratamento de esgoto.
b) O tratamento do esgoto objetiva a diminuição da poluição das águas, poluição essa causada pela introdução de substâncias artificiais ou pelo aumento da concentração de substâncias naturais no ambiente aquático existente.
c) A Baía de Guanabara encontra-se ainda poluída, em razão de as ETEs existentes reciclarem apenas o lodo proveniente dos dejetos, sendo os materiais do nível primário despejados sem tratamento no mar.
d) A elevada concentração de resíduos sólidos despejados na Baía de Guanabara, tais como plásticos, latas e óleos, acaba por provocar intensa eutrofização das águas, aumentando a taxa de oxigênio dissolvido na água.
e) O tratamento de esgoto existente concentra-se na eliminação dos fungos lançados no mar, principalmente aqueles gerados pelos dejetos de origem industrial.

22. FUVEST 2017 1ª fase - Prova V - Questão 40
Segundo relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), inúmeras gigatoneladas de gases do efeito estufa de origem antropogênica (oriundos de atividades humanas) vêm sendo lançadas na atmosfera há séculos. A figura mostra as emissões em 2010 por setor econômico.
Com base na figura e em seus conhecimentos, aponte a afirmação correta.
a) Os setores econômicos de Construção e Produção de outras energias, juntos, possuem menores emissões de gases do efeito estufa antropogênicos do que o setor de Transporte, tendo como principal exemplo ocorrências no sudeste asiático.
b) As maiores emissões de CH4 de origem antropogênica devem-se ao setor econômico da Agricultura e outros usos da terra, em razão das queimadas, principalmente no Brasil e em países africanos.
c) As maiores emissões de gases do efeito estufa de origem antropogênica vinculadas à Produção de eletricidade e calor ocorrem nos países de baixo IDH, pois estes não possuem políticas ambientais definidas.
d) Um quarto do conjunto de gases do efeito estufa de origem antropogênica lançados na atmosfera é proveniente do setor econômico de Produção de eletricidade e calor, em que predomina a emissão do CO2, ocorrendo com grande intensidade nos EUA e na China.
e) A Indústria possui parcela significativa na emissão de gases do efeito estufa de origem antropogênica, na qual o N2O é o componente majoritário na produção em refinarias de petróleo do Oriente Médio e da Rússia.

Gabarito: 
1. d; 2. a; 3. c; 4. e; 5. d; 6. e; 7. a; 8. e; 9. c; 10. e; 11. e; 12. a; 13. e; 14.c; 15. e; 16. a; 17. e; 18. a; 19. a; 20. c; 21. b; 22. d
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...